08 dezembro 2010

Alguns sites para saber mais

Unesco Institute for Water Education (estude lá)

http://www.unesco-ihe.org/Education/Prospective-students/Studying-at-UNESCO-IHE-Streaming-video


Central de Geração de Energia e Água Potável por 
Dessanilização


Brasil das Águas
http://www.brasildasaguas.com.br/



Site Água Brasil (indicadores de qualidade)

http://www.aguabrasil.icict.fiocruz.br

Manias de Gaia

Maior reserva de água potável no mundo é brasileira


A Região Norte é, sem dúvida, um dos maiores símbolos da riqueza natural do Brasil. Agora, além de abrigar a Floresta Amazônica e o Rio Amazonas, ela pode ser conhecida também por possuir a maior reserva mundial de águas subterrâneas. Um volume equivalente a 29 milhões de Maracanãs cheios, ou de 35 mil vezes a baía de Guanabara. Essa impressionante reserva de água, que está guardada no aquífero de Alter do Chão, é hoje justamente o foco de um dos maiores esforços de estudos já feitos pela Faculdade de Geologia da Universidade Federal do Pará (UFPA), que aponta o Aquífero Alter do Chão como o de maior volume de água potável do mundo. A reserva subterrânea está localizada sob os estados do Amazonas, Pará e Amapá e tem volume de 86 mil km³ de água doce.
Atualmente, o maior aquífero do mundo é o Guarani, situado no Paraná. Estudos mostram que essa formação possui uma reserva de água estimada em 45 mil km³. Mas os pesquisadores paraenses querem provar que a reserva de água do aquífero de Alter do Chão é duas vezes maior que a do Guarani, com um volume que alcançria 86,4 mil km³, (86,4 quatrilhões de litros).
No caso de comprovação, os benefícios em possuir o maior aquífero do mundo serão imensuráveis, principalmente para a Amazônia, que já
possui status valiosos como o maior depósito mineral do planeta, o maior volume de água doce do mundo e a maior floresta tropical do globo. As águas amazônicas têm um valor estratégico para o país e para a humanidade que ainda é pouco compreendido pelos gestores brasileiros, É um absurdo faltar água na Amazônia.
Estudos mostram que a quantidade de água do aquífero de Alter do Chão é suficiente para abastecer toda a população do planeta por pelo menos 400 anos.

EDIÇÃO E MONTAGEM: CRSS3
Aracatiara/Amontada/Itapipoca/Itarema

Dessalinização da Água do Mar

Empresa brasileira desenvolve tecnologia para dessalinizar a água do mar.



Problemas de Abastecimento de Água no Futuro

Vídeo sobre problema de abastecimento de água no futuro simulado na cidade virtual de Ecópolis.



Reuso de água - Uma ideia que não se esgota - Petrobras

Projeto de Reutilização da água da Petrobras.


Série Educação sobre Consumo da Água

Série de vídeos muito interessantes de educação sobre o consumo consciente das águas.

Parte 1



Parte 2


Parte 3

Montagem do sistema de irrigação por gotejamento

Vídeo sobre a montagem do sistema de irrigação por gotejamento.





Você sabia?

Fonte: http://www.climate.org/topics/water.html
Uso da água no mundo 


O sistema de irrigação atual gera aproximadamente 75% de desperdício da água utilizada?



Existem sistemas de irrigação por gotejamento que utilizam de 50% a 95% menos água que sistemas mais comuns, como o de aspersão?

Apresentação dos alunos do Grupo Água

Faça download da apresentação do semestre feita por nosso grupo sobre o consumo consciente de água.

Abordamos assuntos como irrigação por gotejamento, aproveitamento de água das chuvas, distribuição de água potável no mundo...

O link para download é http://bit.ly/hTKkVx.

24 novembro 2010

Gasland: a terra do gás! Ator para em lista de terroristas por causa de documentário!

Gasland, a terra do gás, é um documentário que revela como companhias petrolíferas norte americanas utilizando as leis e burlam programas governamentais a seu favor, falsificam resultados e causam irreparáveis danos ambientais. As conseqüências destas ações é mostrado no documentário Gasland, pelo qual o ator Mark Ruffalo, que representará Hulk na próxima versão de os vingadores, apaixonou-se e organizou algumas  exibições da obra. Sua paixão e divulgação de tal obra lhe rendeu a inclusão de seu nome na lista de ameaça a segurança nacional, junto com outros perigosos terroristas.
Segundo o site yahoo.br, "de acordo com a W.E.N.N., o Departamento de Segurança Nacional da Pensilvânia colocou o ator sob obervação, na chamada lista de alerta contra o terror, onde são enumeradas as possíveis ameaças contra os Estados Unidos da América."
Enjoy the trailler!

If it's Yellow, let it mellow, if it's brown, flush it down!


Esta é uma expressão que li em muitos banheiros de escolas e casas lá na Austrália.

A expressão "If it's Yellow, let it mellow, if it's brown, flush it down!", que em tradução livre significa "Se está amarelo, deixe amadurecer, se é marrom, manda ver a descarga!", é uma forma criativa e que dá um tom de brincadeira a frase, porém aborda um assunto sério.

Cade vez que damos descarga, mandamos embora mais ou menos 8 litros de água tratada, que normalmente pode ser usada para banho e muitas vezes até mesmo para consumo, dependendo do lugar. Isso é um desperdício, você não acha?

Claro que muitas pessoas podem pensar, e até mesmo eu pensei no início: "-Argh, isso é nojento, deixar urina amadurecendo no vaso, e o cheiro?" O fato é que a urina dilui na água que já fica reservada no vaso sanitário, e o cheiro não é tão forte assim. E quando paramos para pensar que existe uma questão maior por trás da simples questão do cheiro e sensação de limpeza, nos deparamos com uma escolha: desperdiçar mais 8 litros de água (chega a uma média de 4x por dia este desperdício) ou começarmos a fazer nossa parte para manutenção do planeta em que vivemos?

Enfim, a escolha é sua, aqui em casa não temos o sistema de descarga dupla então já adotamos: "If it's Yellow, let it mellow, if it's brown, flush it down!"

Válvula de descarga ecológica

Matéria sobre sistema de descarga inteligente para vasos sanitários. Este sistema economiza aproximadamente 60% de água, vale a pena ler, está no link http://delas.ig.com.br/casa/servicos/economize+agua+no+banheiro/c1237726520412.html, apresentando várias empresas que oferecem o produto. Além de sustentáveis, os produtos são bonitos.

Há um vídeo interessante de assistir, de um brasileiro que criou e patenteou o primeiro sistema nacional com o mesmo conceito http://www.youtube.com/watch?v=XfAmK8wA3yY.

20 novembro 2010

Como reaproveitar a água da chuva em residências?


É preciso construir um sistema para captação, filtragem e armazenamento da água. A captação é feita com a instalação de um conjunto de calhas no telhado, que direcionam a água para um tanque subterrâneo ou cisterna, onde ela será armazenada.
Junto a esse reservatório, é necessário instalar um filtro para retirada de impurezas, como folhas e outros detritos, e uma bomba, para levar o líquido a uma caixa d'água elevada separada da caixa de água potável. Embora não seja própria para beber, tomar banho ou cozinhar, a água de chuva tem múltiplos usos numa residência.
Entre eles, a rega de canteiros e jardins, limpeza de pisos, calçadas e playground e lavagem de carros (gastos que representam cerca de 50% do consumo de água nas cidades), além de descarga de banheiros e lavagem de roupas. Para isso, no entanto, é preciso alterar as tubulações já existentes e construir um sistema paralelo ao da água potável.
Algumas empresas, como a catarinense BellaCalha (http://www.acquasave.com.br/), oferecem sistemas completos de aproveitamento de água de chuva. Eles podem ser instalados em casas e prédios já construídos ou ainda em obras. Nos edifícios prontos, o reaproveitamento será para as áreas comuns, já que o custo de criar uma rede paralela de água em cada apartamento torna a empreitada inviável.

Egito transforma deserto em florestas utilizando água reaproveitada

O governo egípcio desafia a natureza ao regar áreas desérticas com água reaproveitada para convertê-las em florestas, cujas superfícies já equivalem ao território do Panamá.
A diferença verificada após a intervenção humana é significativa. Onde antes havia uma paisagem desértica e inóspita, agora há áreas verdes cobertas de árvores de alto valor econômico como álamos, papiros e eucaliptos.
Tudo isso foi possível graças à água que utilizam, poluem e desperdiçam todos os dias os 80 milhões de egípcios. Ironicamente, esta é a melhor opção para as chamadas "florestas feitas à mão".
"A água residual pode transformar o que não é fértil, como o deserto, em algo fértil, já que contém nitrogênio, micronutrientes e substâncias orgânicas ricas para a terra", disse à agência de notícias Efe o professor do Instituto de Pesquisa de Solo, Água e Ambiente Nabil Kandil, especializado na análise de terrenos desérticos adequados para o florestamento.
A opinião é compartilhada pelo professor do Departamento de Pesquisa de Contaminação da Água, Hamdy el Awady, que até ressalta a superioridade das plantas regadas com água reaproveitada.
"Esse tipo de água tem muito mais nutrientes do que a água tratada e, por isso, é uma fonte extra de nutrição que pode fazer com que as plantas resistentes aos climas hostis cresçam mais rápido e, inclusive, tenham folhas mais verdes", explica El Awady.

Clique aqui para ler a reportagem na íntegra

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/ambiente

Pequim vai derreter neve para combater a falta de água


O governo chinês vai recolher gelo e neve neste inverno e transformá-los em estado líquido.
A medida, anunciada pela imprensa local, será adotada para cobrir a falta de água que atinge a capital do país, Pequim, há anos.
Especialistas dizem que a seca é provocada pelo aquecimento global. Dois veículos equipados com aquecedores, com capacidade para derreter cem metros cúbicos de gelo e neve por hora, serão enviados à praça Tiananmen.
A neve limpa recolhida de três rios também será drenada e usada na limpeza de estradas, irrigação e em rios com nível de água baixo do normal.
A população de Pequim, formada aproximadamente por 20 milhões de pessoas, consumiu 3,55 bilhões de metros cúbicos de água em 2009. O índice ficou bem acima do suprimento, que é de 2,18 bilhões de metros cúbicos.

10 novembro 2010

Seja um Líder Mundial e freie Aquecimento Global: Confira Vídeo





Adeptos de jogos de estratégia normalmente se concentram em povoar um mundo fictício ou vencer uma disputa bélica, como acontece em WarcraftAge of Empires ou StarCraft. Agora, porém, existe um novo tipo de desafio: salvar a Terra dos efeitos do aquecimento global.
Disponível em versão beta desde outubro, O Destino do Mundo (Fate of the World) foi concebido a partir de projeções científicas, econômicas e demográficas da Nasa, Nações Unidas e Universidade de Oxford. "O jogador pode comandar o planeta durante 200 anos, e pode salvá-lo ou destruí-lo em função das políticas ecológicas, econômicas e sociais aplicadas", resume o britânico Gobion Rowlands, criador do jogo.
Nomeado diretor da Organização Internacional Ecológica (OIE), o jogador poderá, por exemplo, proibir o desmatamento da floresta amazônica, impor a eletricidade nos transportes públicos na Europa ou generalizar a política do filho único por família em toda a Ásia. No entanto, terá que levar em conta todos os parâmetros: se decidir reduzir a natalidade para proteger os recursos naturais, a mão de obra pode se tornar escassa, a idade mínima para a aposentadoria pode subir para 80 anos e a população pode se rebelar.
"O jogo nos permite experimentar o tipo de decisões que poderemos enfrentar em breve, e ver que as respostas não são fáceis", afirmou Myles Allen, especialista em aquecimento global de Oxford. A Red Redemption, empresa de games independente que desenvolveu O Destino do Mundo pretende lançar a versão definitiva no começo de fevereiro.

Fonte do Texto: Veja

09 novembro 2010

Denuncie

Confira o site http://reclamedogoverno.wordpress.com/.

Este blog que estamos recomendando é uma criação recente, e sua proposta é muito interessante.

A idéia é que você pode denunciar descasos governamentais, obras paradas, abandono, mandar fotos e vídeos.

Acho muito apropriado quando falamos em proteger o meio ambiente, usarmos este tipo de canal como ponto de manifestação, quanto mais usarmos, mais repercutem nossas idéias.

25 outubro 2010

Falta de água será problema mundial para o século XXI

Desperdício, descaso e contaminação podem levar à escassez da água. Reavaliar nossas próprias ações podem ajudar em muito.

O mau uso da água tem causado preocupação em alguns países (em sua maioria europeus) e vários estudos tem sido realizados para tentar sanar o problema. “A revolução industrial não aconteceria sem a água. O ser humano não consegue ver que todos os itens industrializados precisam de água para serem produzidos, inclusive dinheiro”, afirmou o jornalista Roberto Haushahn, que teve a água como tema de seu trabalho de conclusão de curso.
Para fabricar cada quilo de aço são necessários 600 litros de água. Um litro de cerveja precisa de três a quatro litros. “A maior produtora de cerveja do Brasil gasta por ano 30 bilhões de água. Para se fazer uma folha de papel sulfite se gasta 380 litros”, disse Haushahn. “Se todas as pessoas do mundo consumissem como os americanos, seriam necessários cinco planetas Terra”, afirmou.
Previsões afirmam que nos próximos anos a guerra não será mais pelo petróleo e sim devido à escassez dos recursos hídricos. O Brasil é o país mais rico em água disponível para o consumo. Possuí 13,7 % de toda a água potável no mundo. “Se hoje nós temos guerra por causa de petróleo, como será quando a água se tornar escassa? Seremos, no mínimo, alvo”, disse Roberto Haushahn.
Águas subterrâneas poderiam ser uma alternativa para suprir as necessidades futuras. Mas não significa que os problemas acabarão. Um dos maiores aqüíferos do Brasil está no Sul e já abastece cidades próximas. “O Aqüífero Guarani que está no Sul do Brasil é imenso, mas há dados de que já esteja contaminado”, apontou Waverli. Além da contaminação, cidades que estão sob estas águas subterrâneas podem afundar com o uso indiscriminado. Um exemplo é a Cidade do México (MÉXICO), que enfrenta muitos problemas com a drenagem de água.

Acesse aqui a reportagem na íntegra

07 outubro 2010

Homem nada de SUNGA no Pólo Norte, em alerta as mudanças climáticas!



Vídeo palestra no TED de Lewis Pugh, o homem que nadou de sunga no Pólo Norte para chamar a atenção do mundo e alertar sobre o derretimento das calotas polares.

Video Speech on TED of Lewis Pugh, the man who swam with SPEEDO the North Pole to claim attention and alert about the melting of polar icecaps.

04 outubro 2010

Avião anfíbio testa qualidade das águas brasileiras


Coleta de amostras no Rio Negro. Foto: Nicolas Reynard

O Projeto BRASIL DAS ÁGUAS:

ACESSE AQUI O SITE BRASIL DAS ÁGUAS
Pesquisa, tecnologia inédita e cidadania

O Brasil representa a maior reserva de água doce da Terra, com 12% do total mundial. Durante 14 meses, entre outubro de 2003 e dezembro de 2004, o aviador Gérard Moss, junto com a esposa Margi, coletaram 1.160 amostras de água doce de rios e lagos espalhados pelo vasto território brasileiro utilizando um método inédito: um avião anfíbio. Os resultados das análises dessas amostras ajudaram a desenhar um abrangente panorama da qualidade das águas do país para fins de alerta e conscientização.

Gérard que, em 2001, realizou a primeira volta ao mundo de motoplanador (www.asasdovento.com.br), valeu novamente das asas para concluir outro projeto inovador. Preocupado com a degradação dos rios visto de cima, ele idealizou uma forma de coletar amostras de água em vôo rasante a bordo de um avião anfíbio. Após meses de consultas com cientistas e especialistas (veja Pesquisadores), e testes do aparelho, foram acertadas as pesquisas que determinariam a qualidade da água coletada.

Pesquisa e cidadania formam a base do projeto. Apoiado por instituições de ensino, pesquisa e grupos comprometidos com as questões ambientais brasileiras, o avião anfíbio Talha-mar, transformado em laboratório aéreo, vôou 120.000 km - o equivalente a mais de duas voltas em torno da Terra – para coletar amostras em todas as regiões hidrográficas do país. O laboratório interno foi totalmente desenhado e montado pela própria equipe Brasil das Águas, com tecnologia 100% brasileira.

Baseado nos resultados obtidos pelas análises realizados por pesquisadores em várias instituições em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerias (veja Pesquisas), foi possível desenhar um mapa mostrando a saúde das águas doces no momento da coleta e identificar ambientes não contaminados para que possam ser conservados. Utilizando a mesma metodologia em todo o país, a comparação dos resultados ajuda a entender a situação atual dos recursos hídricos e contribuir para um extenso banco de dados sobre um dos maiores bens do nosso povo: a água.

Saiba tudo sobre saúde e saneamento no Brasil

Clique aqui para acessar o site Água Brasil.
    
    O Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (ICICT) da Fiocruz, em parceria com a Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental (CGVAM) da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), do Ministério da Saúde (MS) está à frente de um sistema de visualização de indicadores: um Atlas digital que reúne e analisa um conjunto de indicadores sobre a qualidade da água, saneamento e saúde. Esse Atlas ajuda a sociedade a traçar um painel da água usada para consumo humano no país, estimulando o debate sobre a qualidade e cobertura dos serviços de saneamento básico.
      Os resultados desse estudo estão acessíveis para a sociedade civil, técnicos de vigilância em saúde e gestores interessados no tema. Esta é a primeira vez no país que dados tão relevantes sobre a água podem ser acessados sem restrições pela Internet. O Atlas serve, portanto, para elaborar diagnósticos locais dos problemas relacionados à qualidade da água e auxiliar gestores e cidadãos na formulação de políticas sobre saneamento, ambiente e saúde. A integração desses dados é inédita no Brasil.

Romulus Whitaker: O perigo real escondido na água



O gavião e a cobra-rei são dois dos animais mais icônicos da ĺndia, e estão ameaçados devido à poluição de cursos d'água. O conservacionista Romulus Whitaker mostra filmagem rara desses animais magníficos e nos pede para salvarmos os rios que sustentam a vida destes animais e a nossa própria.

Filtro Portátil Transforma Água Imunda em Potável



Grande parte do mundo não tem acesso a água potável.Engenheiro Michael Pritchard fez algo sobre isso inventou o filtro portátil Lifesaver,que transforma a água mais podre em potável em segundos.Um apresentação demo impressionante do TEDGlobal 2009.

01 outubro 2010

Carta 2070 - As possíveis consequências de não cuidarmos da água



Vídeo que circula na internet, utilizado para a conscientização do bom uso, manutenção e preservação de nossos recursos hídricos, projetando como a humanidade pode ser afetado com a escassez de água potável no futuro devido a sua própria poluição.

27 setembro 2010

Sustentabilidade Vale - Gestão de Recursos Hídricos

Este é o link direto para o site de Gestão Ambiental da Cia Vale do Rio Doce - Vale.

Estão criando um instituto de pesquisa de fontes alternativas de água? Para o futuro, no Canadá.

20 setembro 2010

Purificação de Água no Ponto de Consumo

O link http://www.who.int/water_sanitation_health/waterforlife.pdf permite acesso a informações publicadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e UNESCO relativas ao processo de purificação de água no ponto de acesso e seu impacto sócio-econômico.

Demonstra que o treinamento para a utilização de simples métodos como filtros caseiros como o
de bioareia, utilização do hipoclorito de sódio, desinfecção solar, armazenagem correta, entre
outros, pode reduzir impactos sociais importantes causados pela escassez de água potável.

Estes métodos, além de serem utilizados com sucesso em algumas regiões do Brasil, como em comunidades do Pará, são aplicados na África e em zonas de desastres naturais, como no sudeste Asiático após o Tsunami e mesmo no Haiti.

Dicas de Economia

Um banho de 15 minutos exige 105 litros de água. Reduza o tempo para 10 minutos, e o consumo cai para 70 litros.

Cada vez que você lava as mãos com a torneira aberta o tempo todo, são gastos 7 litros de água.

Enquanto faz a barba, com a torneira aberta, um homem gasta 65 litros de água. Feche a torneira enquanto faz a barba, e só volte a usar água para enxaguar. Com a torneira fechada o consumo será inferior a um litro.

Para escovar os dentes é necessário apenas um copo de água, mas as pessoas que não fecham a torneira durante a escovação gastam 10 litros.

A válvula de descarga é um grande vilão no consumo de água. Sozinho o vaso sanitário pode ser responsável por 50% do que se gasta em uma residência.

Nunca jogue cigarros, absorventes ou papéis no vaso, porque haverá maior consumo de água para mandar esse lixo embora.

Deixar a mangueira aberta enquanto lava o carro, nem pensar! Se você fizer isso vai gastar 360 litros. Não lave o carro. Se for imprescindível, use apenas a água de um balde pequeno.
Lavar a louça da família também exige mudança de hábito. Se continuar lavando com a torneira aberta o tempo todo, serão gastos 112 litros por pessoa. Mude o hábito. Feche a cuba da pia, encha de água. Ensaboe toda a louça e enxágüe com água limpa. Se fizer assim, você vai consumir menos de 10 litros para lavar a louça.

Procure usar a capacidade máxima da máquina de lavar roupas. Não lave roupas todos os dias. Espere acumular. Você vai economizar água e energia.A água que fez o último enxágüe das roupas, no tanque ou na máquina pode perfeitamente ser usada para ensaboar tapetes, tênis e cobertores. Também serve para molhar plantas, lavar carro, pisos e calçadas.

Vazamento em torneira:
Gotejando simplesmente consome 60 litros por dia ou 2m³ por mês.
Vazando filete de 1mm consome 2.000 litros por dia ou 60 m³ por mês.

Vazando filete de 2mm consome 4.500 litros por dia ou 130 m³ por mês.
Vazando filete de 6mm consome 16.500 litros por dia ou 530 m³ por mês.
Os vazamentos são grandes vilões. É fundamental observar se a válvula de descarga está funcionando perfeitamente, se não há manchas de umidade nas paredes e calçadas e também se todas as torneiras estão vedando adequadamente.
Uma torneira que fica gotejando durante um mês representa um desperdício de 2 metros cúbicos, o suficiente para atender as necessidades de uma pessoa por 14 dias.
Recomendações gerais:
Quando você for viajar, feche o registro do cavalete de entrada d’água, evitando qualquer desperdício durante sua ausência.
Evite lavar calçadas e carros várias vezes por semana, assim como irrigar demais os jardins.
Fonte: Sanepar
Este texto foi publicado originalmente em http://www.demae.com.br/.

29 junho 2010

Já pensou em lavar seu carro sem água?


Alguma vez você parou para pensar no volume de água que se gasta para lavar um carro? Imagine então no montante desperdiçado em empreendimentos como os lava-jatos. Para resolver esse problema uma rede da capital paulista criou um produto que limpa sem o uso de água.

A iniciativa pioneira evita o descarte de produtos químicos no esgoto da rede pública, elimina o uso de água – e consequentemente a abertura de poços artesianos ilegais – e figura como uma importante alternativa de geração de resultados financeiros sustentáveis. O produto inovador permite uma economia de até 300 litros de água por lavagem!

A fórmula desenvolvida pela DryWash já obteve o reconhecimento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e foi patenteado. Segundo a empresa, lavar carros sem água era o mínimo que poderia ser feito pelo meio ambiente.

Outro detalhe interessante é que os colaboradores da rede passaram a ser agentes multiplicadores das preocupações ambientais. No link “Serviços”, dentro do sitewww.drywash.com.br, é possível obter mais informações sobre o “Água Zero”.

Correios começam a receber donativos destinados à AL

Os Correios começaram a receber, desde o dia 25, donativos para as vítimas das enchentes em Alagoas. Poderão ser doados alimentos não perecíveis, roupas, agasalhos, roupas de mesa e de banho, calçados e barracas. No caso de remédios, apenas as indústrias ou redes farmacêuticas que se responsabilizem pelos produtos poderão fazer doações. Os Correios não aceitarão doações em dinheiro.Os donativos deverão ser embalados em pacotes de até 30 quilos e entregues em qualquer agência dos Correios em todo o país. A postagem é gratuita e as encomendas devem ser enviada à Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Alagoas, Rua Lavenere Machado, nº 80 – Trapiche da Barra – Maceió/AL – CEP: 57010-383.Segundo a Defesa Civil do estado, 28 cidades foram afetadas pelas fortes chuvas dos últimos dias, 15 delas em situação de calamidade pública. Até o momento, 34 pessoas morreram e 76 estão desaparecidas. O número de desabrigados chega a 21,6 mil e o de desalojados, perto de 50 mil.

22 junho 2010

Dessalinização da Água do Mar

O consumo de água doce no mundo cresce a um ritmo superior ao do crescimento da população, restando, como uma das saídas, a produção de água doce, retirando-a do mar ou das águas salobras dos açudes e poços.

A dessalinização de águas salobras acontece quando passa a vapor e se torna doce e o vapor não produz água salgada depois que se condensa.
Nos oceanos esta é a principal solução para o atendimento das futuras demandas de água doce, já que são possuidores de 95,5% da água existente no Globo Terrestre.
Processos para dessalinização da água do mar:
destilação convencional
destilação artificial
eletrodiálise
osmose reversa
A dessalinização da água salgada ou salobra, do mar, dos açudes e dos poços, se apresenta como uma das soluções para a humanidade vencer mais esta crise que já se pronuncia.
Atualmente muitos países e cidades estão se abastecendo totalmente de água doce extraída da água salgada do mar que, embora ainda a custos elevados, se apresenta como a única alternativa, concorrendo com o transporte em navios tanques, barcaças e outros.
O consumo de água doce no mundo cresce a um ritmo superior ao do crescimento da população, restando, como uma das saídas, a produção de água doce, retirando-a do mar ou das águas salobras dos açudes e poços.
O uso das fontes alternativas de energia, como a eólica e a solar, apresentamx-se como uma solução para viabilizar a dessalinização no nosso semi-árido, visando o consumo humano e animal e a micro-irrigação, o que propiciaria melhores condições para a fixação do homem no meio rural.
O Nordeste é caracterizado por condições semi-áridas, com baixa precipitação pluviométrica e por um solo predominantemente cristalino, que favorece a salinização dos lençóis freáticos. Até agora as iniciativas se restringiram a soluções paliativas, como a construção de açudes e a utilização de carros pipa.
A dessalinização de água através de osmose inversa apresenta-se como uma ótima alternativa, uma vez que possui um menor custo quando comparado com outros sistemas de dessalinização. Além de retirar o sal da água, este sistema permite ainda eliminar vírus, bactérias e fungos, melhorando assim a qualidade de vida da população interiorana. O seu funcionamento está baseado no efeito da pressão sobre uma membrana polimérica, através da qual a água irá passar e os sais ficarão retidos. A integração com a energia eólica faz-se necessária devido ao baixo índice de eletrificação rural da região, tornando o sistema autônomo. Será utilizada uma turbina de 1.5 KW que irá fornecer eletricidade alternadamente para a bomba de captação de água do poço.

Histórico dos processos de dessalinização:
Em 1928 foi instalado em Curaçao uma estação dessalinizadora pelo processo da destilação artificial, com uma produção diária de 50 m3 de água potável.
Nos Estados Unidos da América as primeiras iniciativas para o aproveitamento da água do mar datam de 1952, quando o Congresso aprovou a Lei Pública número 448, cuja finalidade seria criar meios que permitissem reduzir o custo da dessalinização da água do mar. O Congresso designou a Secretaria do Interior para fazer cumprir a lei, daí resultando a criação do Departamento de Águas Salgadas.
O Chile foi um dos países pioneiros na utilização da destilação solar, construindo o seu primeiro destilador em 1961.
Em 1964 entrou em funcionamento o alambique solar de Syni, ilha grega do Mar Egeu, considerado o maior da época, destinado a abastecer de água potável a sua população de 30.000 habitantes.
A Grã-Bretanha, já em 1965, produzia 74% de água doce que se dessalinizava no mundo, num total aproximado de 190.000 m3 por dia.
No Brasil, as primeiras experiências com destilação solar foram realizadas em 1970, sob os auspícios do ITA-Instituto Tecnológico da Aeronáutica.
Em 1971 as instalações de Curaçao foram ampliadas para produzir 20.000 m3 por dia.
Em 1987 a Petrobrás iniciou o seu programa de dessalinização de água do mar para atender às suas plataformas marítimas, usando o processo da osmose reversa, tendo esse processo sido usado pioneiramente, aqui no Brasil, em terras baianas, para dessalinizar água salobra nos povoados de Olho D'Água das Moças, no município de Feira de Santana, e Malhador, no município de Ipiara.
Atualmente existem 7.500 usinas em operação no Golfo Pérsico, Espanha, Malta, Austrália e Caribe convertendo 4,8 bilhões de metros cúbicos de água salgada em água doce, por ano. O custo, ainda alto, está em torno de US$ 2,00 o metro cúbico.
As grandes usinas, semelhantes às refinarias de petróleo, encontram-se no Kuwait, Curaçao, Aruba, Guermesey e Gibraltar, abastecendo-os totalmente com água doce retirada do mar.

14 junho 2010

Agroecologia e Conservação de Água

Link: Agroecologia e Conservação de Água

Agricultores desenvolvem sistemas agroflorestais com impactos positivos no abastecimento de água. Antes do processo de recuperação do terreno, nascente local abastecia duas famílias, com escassez e disputa pela água. Hoje, o manancial atende sete famílias.
O aumento da disponibilidade de água se deu a partir de técnicas que melhoraram a infiltração da água das chuvas no terreno e da preservação da água da microbacia, dentro da propriedade do agricultor Paulo Amaral, onde o estudo foi realizado.

10 junho 2010

Aproveite para preservar o meio ambiente e seu namoro!


É possível conciliar romantismo com sustentabilidade?
No clima de dia dos namorados, pegamos algumas dicas com o Ecoblog (www.ecoblogs.com.br) para deixar seu namoro (ou casamento, ou rolo... enfim) mais romântico sem esquecer o meio ambiente!


Tome um banho a dois
Além de muito mais agradável, um banho a dois economiza uma quantidade enorme de água - mesmo os mais demoradinhos…

Esqueça a luz elétrica
Ambientes com iluminação amena são mais românticos. Aproveite a data para encher a casa de velas.

Ao invés de comprar, faça o presente
Não é preciso ter grandes habilidades manuais para fazer um presente ao invés de comprá-lo. Você pode oferecer uma longa e deliciosa massagem ou preparar todo o cardápio do jantar em casa.

Dispense o embrulho
Embalagem de presente geralmente são papéis, laços e fitas que depois vão direto para o lixo. Dispense o embrulho ou escolha um que poderá ser usado depois, como um belo lenço ou uma caixa bonita.

Prefira vasos de flores e plantas aos arranjos
Além de ser mais ecológico, vasos plantados dão impressão de longevidade, algo que deve ser cuidado e regado.

Dê um descanso ao carro
Poucas coisas podem ser tão românticas quanto um passeio à pé de mãos dadas.

Adote um pet
Adote um cãozinho ou gatinho abandonado. Compartilhar a guarda de um bichinho pode ser o próximo passo na evolução do seu relacionamento.

Aquecedor?
Cobertor! Nada de aquecedor elétrico se estiver friozinho.
É muito mais gostoso ficar grudado e dividir um cobertor.

Seja você também um eco-romântico!!!

07 junho 2010

Imagens do maior desastre ambiental nos EUA





Ave coberta de petróleo tenta levantar voo junto ao casco de um navio, na região onde acontece o vazamento no Golfo do México.




São enormes as manchas de petróleo que vagam no Golfo do México. Sem controle, o óleo jorra do fundo do mar e destrói ambientes e a fauna aquática daquela região americana.

06 junho 2010

ÁGUA, é preciso usar SEM DESPERDIÇAR

A organizaçao mundial da saúde estabelece que
110 litros de água potável por dia são suficientes
para o consumo e higiene de um ser humano.

Canadense: 500 litros
Norte Americano, Japoneses: 350 litros
Europeu: 200 litros
Brasileiro: 150 litros
Africano da Região Subssasriana: 10 a 20 litros

Fonte: National Geographic.
Vera Tavares

Dia Mundial do Meio Ambiente

Domingo, 06 de Junho de 2010Busca avançada


Meio ambiente

Paulo Nogueira Neto: otimismo ambiental moderado


Na semana em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, Paulo Nogueira Neto, o primeiro ambientalista brasileiro e ainda ativo na causa, se mostra otimista em relação à trajetória que temos seguido rumo a um mundo mais sustentável

No início da década de 50, em uma época em que as pessoas preocupadas com o meio ambiente “cabiam todas dentro um ônibus”, como o ambientalista Paulo Nogueira Neto costuma brincar, ele se aventurava a defender a causa ambiental. E nunca mais parou.

O senhor iniciou sua trajetória em defesa do meio ambiente no início da década de 50, quando pouca gente se preocupava com o assunto, e acompanha de perto, até hoje, o movimento ambientalista. Qual é a sua avaliação sobre esses 60 anos? Evoluímos em termos de consciência ecológica?
Sou testemunha de uma evolução constante, tanto por termos uma maior compreensão sobre o tema, quanto pelos resultados concretos obtidos. As questões ambientais ganharam importância para a maioria da população e a imprensa é um grande exemplo disso, pois tem dedicado, diariamente, um espaço cada vez maior ao assunto.
Eu sou do tempo em que o meio ambiente interessava a um pequeno grupo de pessoas. Se juntássemos todas as pessoas engajadas de São Paulo elas caberiam dentro de um ônibus. Assim como no Rio de Janeiro, em Belo Horizonte, Porto Alegre, no Nordeste. Eram movimentos localizados e a gente até se comunicava, mas a grande maioria da população não estava presente.

No que ainda precisamos evoluir para cuidar melhor do meio ambiente?
Precisamos ter uma legislação mais firme, em favor do meio ambiente. Hoje há um movimento de certos setores da sociedade que são francamente contrários à proteção do meio ambiente, o que é um erro tremendo. Principalmente em tempos de aquecimento global, o mundo não pode cruzar os braços. São necessárias medidas públicas e privadas para conter as mudanças climáticas, mas ainda há muita discussão pela frente.

É verdade que a expressão desenvolvimento sustentável é cada vez mais falada, mas, na prática, nem sempre vemos essa opção pelo desenvolvimento sustentável?
O mundo progrediu imensamente nos últimos anos. Na Medicina, por exemplo. Se não houvesse remédio para pressão alta, que eu tomo há trinta anos, já estaria morto. É claro que o mundo ainda não fez todos os progressos necessários. No momento, temos que combater o aquecimento global e as medidas ainda não são eficientes, mas as coisas estão caminhando. Tudo depende de um esforço e há sempre pessoas com opiniões contrárias, o que é normal em uma democracia.

No que ainda precisamos evoluir para cuidar melhor do meio ambiente?
Precisamos ter uma legislação mais firme, em favor do meio ambiente. Hoje há um movimento de certos setores da sociedade que são francamente contrários à proteção do meio ambiente, o que é um erro tremendo. Principalmente em tempos de aquecimento global, o mundo não pode cruzar os braços. São necessárias medidas públicas e privadas para conter as mudanças climáticas, mas ainda há muita discussão pela frente.
De: http://www.planetasustentavel.com.br/

Vera Tavares

05 junho 2010

Festival do Minuto adere do Movimento Cyan, projeto da Ambev


Na intenção de incentivar a reflexão sobre a importância do recurso natural, o Festival do Minuto lançou, na última terça-feira (1º), o concurso Água. Os participantes são convidados a criar um vídeo de até 1 minuto sobre o tema e concorrem a prêmios em dinheiro (R$ 10 mil). Os trabalhos podem ser feitos por profissionais ou amadores, em qualquer suporte/mídia, e enviados pelo site (http://www.festivaldominuto.com.br/templates/Home.aspx) até o dia 30 de setembro.

A iniciativa é uma parceria com Movimento Cyan – “Quem vê a água enxerga seu valor”, projeto desenvolvido pela AmBev para difundir o uso racional da água. Os trabalhos selecionados pela curadoria vão ficar disponíveis no site do Festival, e, ao final do concurso, os melhores serão premiados – 3 prêmios de R$ 2 mil cada; e 1 prêmio-aquisição de R$ 4 mil.

Além da oportunidade de publicar vídeos, o público vai poder ver alguns trabalhos do acervo do Minuto como: Sólido Líquido Gasoso, de Lucas Paio; Tormenta no Entardecer, de Jorge Jimene; Memória da Água, de Mariana Sucupira; Windmaker#2, de Kika Nicoleta.

O Festival do Minuto foi criado no Brasil, em 1991, e é hoje o maior festival de vídeos da América Latina. A partir do evento brasileiro, surgiram Festivais do Minuto em mais de 50 países, cada um com dinâmica e formato próprios. O acervo do festival inclui vídeos de inúmeros realizadores que hoje são conhecidos pela produção de longas-metragens, como os diretores Fernando Meirelles (“Cidade de Deus”), Beto Brant (“O Invasor”) e Tata Amaral (“Antônia”).

O Movimento Cyan é uma ação promovida pela Ambev para alertar e conscientizar sobre o uso responsável da água. O projeto, iniciado no Dia Mundial da Água (22 de março), recebeu o nome de Cyan, pois foi a cor obtida pelos gregos em 159 d.C para representar o líquido incolor. As iniciativas do Movimento Cyan incluem parcerias com a USP São Carlos/SP e com a ONG holandesa Water Footprint Network para cálculo do consumo de água em toda a cadeia produtiva da AmBev – do plantio da cevada até o ponto-de-venda.

03 junho 2010

O Dia Mundial do Meio Ambiente


O Dia Mundial do Meio Ambiente foi criado pela Assembléia Geral das Nações Unidas em 1972, marcando a abertura da Conferência de Estocolmo sobre Ambiente Humano.

Desde então no dia 05 de Junho é celebrado o Dia Mundial do Meio Ambiente, que chama a atenção e ação política de povos e países para aumentar a conscientização e a preservação ambiental.

Alguns dos principais esforços em relação ao Dia do Meio Ambiente são:

•Mostrar o lado humano das questões ambientais;
•Capacitar as pessoas a se tornarem agentes ativos do desenvolvimento sustentável;
•Promover a compreensão de que é fundamental que comunidades e indivíduos mudem atitudes em relação ao uso dos recursos e das questões ambientais;
•Advogar parcerias para garantir que todas as nações e povos desfrutem um futuro mais seguro e mais próspero.
Este Ano o tema do Dia Mundial é: “Seu planeta precisa de você: Unidos contra as mudanças climáticas”. Ele mostra que nações atuem de maneira harmônica para fazer frente às mudanças climáticas, para manejar adequadamente suas florestas e outros recursos naturais e para erradicar a pobreza.

Este ano o México será a sede mundial das comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente, o que reflete o engajamento dos países da América Latina e Caribe na luta contra as mudanças climáticas e na transição para uma sociedade de baixo carbono.

31 maio 2010

Crianças sofrem com doenças à margem do Rio Sarapuí


Elas já nascem à margem: à margem do rio, da saúde e da vida. São as maiores vítimas da vingança do Rio Sarapuí. Inocentes, brincam ao lado do inimigo, entram em suas águas contaminadas, recebendo de volta todo o veneno que vem sendo há anos despejado nos seus 36 quilômetros de extensão. Por meio desse contato, as crianças conhecem, logo cedo, as cólicas das gastroenterites, o desconforto dos vômitos, os calafrios das febres, as coceiras das doenças de pele e os prejuízos nutricionais das verminoses. Na escola, isso se reflete na dificuldade de aprender.

Em seus 2 anos e 9 meses de vida, morando diante do rio, na Chatuba, Mayara adquiriu otite crônica, já foi internada com celulite na perna — uma infecção grave na pele, que pode evoluir para infecção generalizada — e teve diarreia crônica. A menina caiu nas águas poluídas do Sarapuí aos 6 meses, quando engatinhava em suas margens. Desde então, chora quase todas as noites, com dores no ouvido.

(...)

Infecções que se repetem

Segundo o pediatra infectologista Edimilson Migowski, professor da UFRJ que examinou Stefani e Mayara, o contato com a água suja do rio faz com que as meninas estejam sempre se reinfectando:

— É um problema relacionado ao ambiente em que elas vivem. E o uso recorrente de antibióticos cria condições para o aparecimento de bactérias resistentes. Há o risco de surgirem doenças mais difíceis de serem curadas.

Notícia completa disponível em: http://extra.globo.com/geral/casosdecidade/posts/2010/05/31/criancas-sofrem-com-doencas-margem-do-rio-sarapui-295868.asp

30 maio 2010

Brasil é o país que mais causa impacto ao meio ambiente, diz pesquisa

País lidera lista, seguido de Estados Unidos, China, Indonésia e Japão.
Estudo foi feito em universidade na Austrália e publicado no início do mês.

Publicado no início do mês, um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Adelaide, na Austrália, coloca o Brasil no topo de uma lista de países que mais causam impacto ao meio ambiente no mundo.

A pesquisa Evaluating the Relative Environmental Impact of Countries (Avaliação do Impacto Ambiental Relativo dos Países, em tradução livre) foi publicada no jornal científico PloS One e analisou o estado de degradação do meio ambiente em 171 países. O estudo classificou os países em rankings absolutos e proporcionais. (...)

O principal fator que coloca o Brasil nessa posição é o desmatamento. O país é o primeiro no fator de perda de floresta natural e o terceiro em transformação de habitats naturais. O Brasil também é o quarto país com mais espécies ameaçadas e que mais emite carbono na atmosfera, segundo o estudo.

FONTE: Globo Amazônia, em São Paulo
Leia a notícia na íntegra: http://www.globoamazonia.com/Amazonia/0,,MUL1596352-16052,00-BRASIL+E+O+PAIS+QUE+MAIS+CAUSA+IMPACTO+AO+MEIO+AMBIENTE+DIZ+PESQUISA.html

27 maio 2010

Óleo mancha praia do Sul

Notícia publicada hoje, 27 de maio, pelo Diário Catarinense informa o aparecimento de uma mancha de óleo com cerca de 500 metros de extensão nas areias da Praia de Itapirubá, em Imbituba, no Sul do Estado de SC. Segundo órgãos ambientais, é provável que o crime seja resultado da limpeza de algum navio que passou pela região.
Os primeiros sinais do combustível começaram a surgir por volta das 16h na ala norte de Itapirubá. Em menos de 30 minutos, boa parte da faixa de areia ficou suja pelo óleo. O comandante da Polícia Ambiental de Laguna, major Jefer Francisco Fernandes, informou que a corporação irá investigar o crime. Segundo ele, se ainda houver vestígios de óleo em alto-mar, as chances de descobrir a origem da mancha são boas.

Agora ficam as perguntas: Até quando este tipo de crime vai ocorrer? Quando a humanidade vai respeitar o meio ambiente? Qual deveria ser a punição aplicada aos responsáveis pela morte dos animais e degradação ambiental causada por este crime ambiental? Deixe sua opinião!


Leia a notícia na íntegra: http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2917505.xml&template=3898.dwt&edition=14770§ion=213

25 maio 2010

A dessalinização da água

Quando se discute o fim do petróleo, logo se enumeram possíveis fontes alternativas de energia. Quando a questão é a água, o primeiro impulso é o desespero. Nossa sociedade é baseada no consumo desse recurso. O ser humano, cujo organismo é composto por cerca de 65% de água, não sobrevive sem ela por muito mais que 48 horas. Por isso, pesquisadores do mundo inteiro têm se esforçado para encontrar uma solução que combata a crescente escassez.

A dessalinização é uma alternativa que já vem sendo bastante utilizada em países do Oriente Médio como Israel ou o Kuwait. Embora ainda seja uma solução cara, seu preço já diminuiu bastante. Há duas formas de dessalinizar a água. A primeira é a destilação, em que se reproduz o processo que gera a chuva. Provoca-se a evaporação da água que, ao entrar em contato com uma superfície fria, condensa-se. A segunda, mais moderna e barata, é como uma osmose ao contrário: a água é submetida a uma forte pressão e passa através de membranas que retêm o sal.

Outras alternativas, já empregadas, são a reciclagem e reutilização da água para fins menos nobres tais como o resfriamento de máquinas ou a produção de vapor, a coleta de água em neblina com o auxílio de redes de náilon ou mesmo o uso de poços para aproveitar a água da chuva. Muitos discutem a possibilidade de descongelar calotas polares, que encerram boa parte da água doce do planeta.

Cada uma dessas alternativas tem seus impactos, mais ou menos graves. A dessalinização da água pode causar danos ao meio ambiente. "Se o sal for despejado no solo, este fica inviável para a agricultura, e os aqüíferos se contaminam", diz Ana Lúcia Brandimarte. Acredita-se também que o descongelamento de calotas polares possa trazer de volta epidemias já controladas, como a da varíola, cujos vírus só existem em laboratórios de altíssima segurança ou congelados nessas calotas.

Nenhuma alternativa para combater a escassez de água, no entanto, pode prescindir de uma mudança de atitude da população como um todo diante do problema. Uma simples descarga pode desperdiçar até 26 litros de água (no caso do Brasil, de água potável); certas tecnologias permitem gastar apenas seis. A agricultura, que gasta mais de 50% da água consumida no mundo, desperdiça metade desse total por causa de aparelhagem e técnicas ineficientes. E os altos índices de desperdício das distribuidoras denota falta de empenho para um uso racional do recurso. A solução para a crise da água passa inevitavelmente pela conscientização. Enquanto cada cidadão não encarar esse problema como seu, qualquer solução será apenas um paliativo.

FONTE: Universidade da Água, disponível em http://www.uniagua.org.br

24 maio 2010

Como economizar água?

Para começar você pode:

Seguir algumas dicas publicadas em nosso blog na Seção "Reduzindo o Consumo".
Conhecer e seguir todas as regras de conservação e racionamento de água que possam estar em vigor.
Ajudar a desenvolver a consciência das crianças sobre a necessidade de se conservar água.
Encorajar seus funcionários a promover a conservação de água em seu local de trabalho.
Divulgar negócios que pratiquem e promovam a conservação de água.
Avisar ao proprietários de imóveis, a autoridades locais ou à concessionária de água de sua cidade sobre toda perda de água (encanamentos rompidos, hidrantes abertos, aspersores mal instalados, poços que tenham fluxo constante abandonados etc).
Apoiar projetos de utilização de água reciclada para irrigação e outros usos. Encorajar seus amigos e vizinhos a fazer parte de uma comunidade consciente da importância da água.
Não desperdiçar água porque outra pessoa está pagando a conta.
Resumindo: tente fazer cada dia algo que resultará em mais economia de água. Não se preocupe se as economias são mínimas.

LEMBRE-SE: Cada gota conta. E cada pessoa faz a diferença!

Uma última dica que não poderia faltar: Acesse sempre o nosso blog e divulgue para seus amigos!

Aproveitamento de água de chuva

O sistema de captação, filtragem e armazenamento de água de chuva, é indicado para tanto para utilização residencial, quanto para comercial e industrial.

Esses sistemas utilizam telhados e calhas como captadores da água de chuva, que é dirigida para um filtro autolimpante e levada para uma cisterna ou tanque subterrâneo.Para evitar que a sedimentação do fundo da cisterna se misture com a água, esta é canalizada até o fundo. Estocada ao abrigo da luz e do calor, a água se mantém livre de bactérias e algas. Uma outra parte do sistema cuida de sugar a água armazenada de pontos logo abaixo da superfície, para não movimentar eventuais resíduos.

Ao optar pela reutilização, da água de chuva, lembre-se que esta poderá ser utilizada no abastecimento da piscina, para resfriar equipamentos e máquinas, em serviços de limpeza, para descarga de banheiros, no reservatório contra incêndio e na irrigação de áreas verdes.

E lembre-se: a água da chuva não pode ser utilizada como água potável.

FONTE: http://www.sustentabilidade.org.br/

23 maio 2010

Vasos sanitários a vácuo geram economia de água de até 30%



O arquiteto Anabi Resende Filho, da USP, estudou quatro sistemas de esgotamento sanitário, visando a racionalização do uso da água, dentre eles o sistema de descarga a vácuo, e verificou as vantagens e as desvantagens econômicas de cada um deles.
Os vasos sanitários tradicionais consomem entre 6,8 e 12 litros de água por acionamento, dependendo do modelo, enquanto a descarga a vácuo consome apenas 1,2 litro.

Como funciona a descarga a vácuo
"No momento do acionamento da descarga, o ar do meio externo invade a tubulação a fim de igualar as pressões dos dois ambientes", explica Resende. Essa diferença de pressão gera uma entrada de 80 litros de ar para dentro da tubulação a uma velocidade acima de 600 quilômetros por hora (km/h), carregando os dejetos.

Vantagens
O sistema de esgotamento sanitário a vácuo, utilizado em aeronaves e plataformas de petróleo, consome cerca de 1,2 litro de água a cada acionamento, gerando uma economia na conta de água de cerca de 30%. Sua utilização também produz menos esgoto, sendo ambiental e socialmente mais correta, por reduzir custos nas estações de tratamento de esgotos.

Desvantagens
Dentre as desvantagens do uso do sistema a vácuo está a geração de ruídos operacionais altos, afetando a privacidade do usuário, podendo até mesmo contribuir para distúrbios auditivos. Isto ocorre pelo fato de alguns sistemas existentes no mercado ultrapassarem, em muito, o nível de decibéis recomendados pela Organização Mundial de Saúde.
Outra desvantagem é o preço, não sendo viável sua instalação em residências, no momento. Na SOF, o custo de instalação foi de cerca de R$380 mil para 65 vasos sanitários.

35 litros: É quanto você pode economizar de água reduzindo o banho em 5 minutos!!

Finalizada o período de votações da enquete do blog, em 21 de maio passado, obtivemos 23 votos e um empate no resultado. Quando questionados sobre quantos litros de água podemos economizar reduzindo o banho de 15 para 10 minutos, 9 pessoas votaram em 25 litros e 9 acertaram o resultado, votando nos 35 litros.

Vamos nos conscientizar sobre o consumo racional de água e diminuir o tempo no banho, tendo em vista o gasto deste precioso recurso disponível a todos e mal usado por muitos!

22 maio 2010

Batalha pela Água

A humanidade poderá presenciar no terceiro milênio uma nova modalidade de guerra: a batalha pela água. Um relatório do Banco Mundial de 1995 já anunciava que as guerras do próximo século serão motivadas pela disputa de água, diferentemente dos conflitos do século XX, marcados por questões políticas ou pela disputa do petróleo.

Situação Mundial:
Israel, Jordânia e Palestina: 5% da população do mundo sobrevivem com 1% da sua água disponível no Oriente Médio, nesse contexto ainda há a guerra entre árabes e israelenses. Isso poderia contribuir para crises militares adicionais enquanto o aquecimento global continua. Israel, os territórios palestinos e a Jordânia necessitam do rio Jordão, mas Israel controla-o e corta suas fontes durante as épocas de escassez. O consumo palestino é então restringido severamente por Israel.

Turquia e Síria: Os projetos da Turquia para construção de represas no rio Eufrates levaram o país à beira de um conflito com a Síria em 1998. Damasco acusa Ancara de usar deliberadamente sua fonte de água enquanto o rio desce pelo país que acusa a Síria de proteger líderes separatistas curdos. A falta de água ocasionada pelo aquecimento global aumentará a pressão nesta volátil região.

China e Índia: O rio Brahmaputra já causou tensão entre Índia e China e pode se tornar uma faísca para dois dos maiores exércitos do mundo. Em 2000, a Índia acusou a China de não compartilhar informações sobre o funcionamento do rio desde o Tibet que causou inundações no nordeste da Índia e em Bangladesh. As propostas chinesas para desviar o rio também concernem a Deli.

Angola e Namíbia: As tensões aumentaram entre Botswana, Namíbia e Angola em torno da vasta bacia de Okavango. As secas fizeram a Namíbia reativar projetos para um encanamento da água de 250-milhas para fornecimento à capital. Drenar o delta seria letal para comunidades locais e para o turismo. Sem a inundação anual do norte, os ’swamps’ encolherão e a água sangrará até o deserto de Kalahari.

Etiópia e Egito: O crescimento populacional no Egito, no Sudão e na Etiópia está ameaçando um conflito ao longo do rio mais comprido do mundo, o Nilo. A Etiópia está pressionando por uma parte maior da água azul do Nilo, mas isso prejudicaria o Egito. E o Egito está preocupado com a parte branca do Nilo que corre através de Uganda e Sudão, e que poderia ser esgotado também antes que alcance o deserto de Sinai.

Bangladesh e Índia: As inundações no Ganges causadas pelo derretimento das geleiras do Himalaia chegam a Bangladesh o que leva a uma ascensão na migração ilegal à Índia. Isto fez com que a Índia construísse uma imensa cerca na beira do rio na tentativa de obstruir os imigrantes. Cerca de 6 mil pessoas cruzam ilegalmente pela beira do rio em direção à Índia a cada dia.

FONTE: Terra Azul